Fundação Rio Verde
Como as máquinas aprendem
21/03/2018 às 15h12
Por: Luciano Vendrame/BW Comunica
Foto reprodução: Época

Esse é o título de uma das palestras do Show Safra BR 163 de 2018, destinada especialmente ao pessoal do agronegócio, mas que vai envolver a todos que gostam de se antecipar sobre o futuro.

O palestrante Fábio Gandour é uma autoridade em Tecnologia da Informática no Brasil. Palestrante renomado, PHD em Ciência da Computação, atuou como cientista chefe do laboratório brasileiro da IBM e participou de projetos importantes da IMB em San José no Vale do Silício (EUA). Entre outras abordagens, ele trata da ciência como negócio.

A importância do palestrante levou o Show Safra BR 163 a contratá-lo para falar ao público nesta quinta-feira (22), às 19h.

“A agricultura é pura tecnologia, o exemplo mais prático, mais famoso, são os tratores que não tem operador, entre tantas outras em se tratando de equipamentos, computadores e softwares utilizados para preparar o solo, sementes e outras atividades sobre as quais o agricultor deve se preparar em relação ao futuro,” explica Rodrigo Pasqualli, um dos diretores da Fundação Rio Verde, realizadora do Show Safra.

Em viagem para os Estados Unidos e ao México, via WhatsApp, Gandour também tratou da associação entre computação e a agricultura.

“Eu sei que vou falar para um público que participa do Produto Interno do Brasil como nenhum outro, que segura a balança comercial há 20 anos. Esse público só pode ter chegado a esse nível de importância com trabalho e tecnologia. Quero entender esse universo e explicar como as máquinas também são capazes de aprender e serem cada vez mais úteis. Nesse caso, em especial para cumprir uma missão incrível de vocês, produzir alimentos”, declara o palestrante.

Saiba mais sobre Fábio Gandour

É graduado em Medicina, se especializou em Cirurgia Pediátrica. Após 11 anos atuando nesta área, migrou para o mundo da TI. Obteve um PhD em Ciência da Computação e ingressou na IBM em 1990, ocupando várias posições na empresa ao longo destes 28 anos.

Em 2006, vislumbrou a necessidade de se criar um laboratório de pesquisa no Brasil para promover inovação e produzir um impacto positivo nos negócios. Sustentou esta visão divulgando conceitos de "Ciência como Negócio", ainda pouco conhecidos por aqui naquela época. Em 2010, o BRL (Brazilian Research Lab), da IBM, abriu suas portas e Fabio Gandour foi seu cientista-chefe até o início deste ano.

Ao longo da atividade de cientista-chefe, percebeu que para atingir o mundo dos negócios com inovação baseada em tecnologia, seria preciso esclarecer conceitos complexos de forma simples.

Para atingir este objetivo, desenvolveu um modelo de comunicação apoiado por metáforas bem construídas. Esta habilidade se transformou em uma marca registrada e sua maior vantagem competitiva.

É tudo isto que o palestrante vai usar para te explicar o que toda esta ciência tem a ver com o seu negócio!